Promising young woman

REFLETE
3 min readApr 28, 2021

Mais do que um filme sobre vingança, mostra como as mulheres são desacreditadas, abusadas e julgadas como culpadas, a todo momento

CONTÉM SPOILER

Imagem: Divulgação

Quando coloquei “Promising Young Woman” no Google, o filme que marca a estreia de Cary Mulligan como diretora, primeiro me deparei com sinopses rasas e as classificações em que se encaixa: humor ácido (?), suspense, thriller. Depois, algumas matérias sobre os 5 Oscars a que concorreu agora em 2021. Mas pouco li sobre o retrato que traz do sistema patriarcal, reproduzindo falas e comportamentos diários, repetidos, que doem no estômago.

A sinopse do wikipedia traz assim: “Todos diziam que Cassie (Carey Mulligan) era uma jovem promissora, até que um evento misterioso destruiu abruptamente seu futuro. No entanto, nada na vida de Cassie é o que parece ser: ela é perversamente inteligente e tentadoramente astuta, e vive uma vida dupla secreta à noite. Um encontro inesperado está prestes a dar a Cassie a chance de corrigir os erros do passado.” — o que me leva a pensar que ela foi escrita por um homem.

Foto: Focus Features

O filme, na verdade, traz uma imensa crítica, um espelho mesmo, do que vemos acontecer todos os dias: homens se aproveitando de mulheres em estado vulnerável, no caso do filme, bêbadas (“ela pediu”), mulheres machistas sendo coniventes com abusos e estupros (“ela transava com todo mundo, queria o quê?” e “ele era um ótimo aluno, eu não podia estragar o futuro dele”), homens ajudando homens a saírem de crimes sexuais (“não foi culpa sua”) e agressores justificando seu comportamento com “eu era novo, era coisa de jovem, nem lembro direito.”

Esse sim é o cenário do filme, cheio de nuances, onde Cassie, uma ex-aluna promissora de medicina busca vingança contra abusadores, usando táticas como ficar bêbada em bares e boates e fingir que nada está entendendo, até o cara a levar pra casa, praticamente desacordada e e ela “de repente ficar sóbria” e, a partir de então, ser tratada, como “louca” e “psicopata”, “sai daqui”. Ou fazendo pessoas do passado passarem pela mesma situação que sua melhor amiga, Nina (estuprada por um grupo de alunos), passou. Sim, essa é a principal motivação das suas vinganças, o que ficamos sabendo aos poucos, durante a trama.

Além de ter levado o Oscar de melhor roteiro, Promising Young Woman nomeado um dos dez melhores filmes de 2020 pelo National Board of Review, com Mulligan também vencendo o prêmio de melhor atriz, e recebeu quatro indicações no 78º Golden Globe Awards, incluindo melhor filme dramático.

Seria bom que mais homens assistissem. De preferência, com os amigos.

--

--